Festival Internacional de Inovação e Criatividade | Festival IN

 

festival-IN

De 29 de Maio a 2 de Junho decorre em Lisboa o primeiro Festival IN – Festival Internacional de Inovação e Criatividade. O objectivo deste evento é promover, nacional e internacionalmente, o que é feito na indústria criativa portuguesa.

“O Festival IN promove actividades que têm a sua origem na criatividade individual, habilidade e talento e com potencial de criação de emprego e riqueza, através da geração e exploração da propriedade intelectual. Queremos impulsionar os autores, criadores e empreendedores nacionais a uma escala mundial promovendo, em simultâneo, a região de Lisboa como Cidade Criativa e Portugal como um país Inovador”, adianta a organização do festival, a Fundação AIP (Associação Industrial Portuguesa).

Além da promoção, o Festival IN apresenta-se como um ponto de encontro de criadores, investidores e consumidores, podendo assim ser uma iniciativa propícia para “fomentar negócio sendo que, aqui, as empresas e os criadores poderão encontrar novas ideias, projectos, produtos e soluções”, acrescenta a Fundação AIP.

Do programa de actividades da feira faz parte uma conferência internacional sobre propriedade intelectual, designada “Criadores, Piratas e Investidores: O Triângulo das Bermudas”. Nesta conferência vão marcar presença, “grandes nomes nacionais e internacionais” como Francisco Pinto Balsemão, presidente da European Publishers Council e presidente do Grupo Impresa, Rick Falkvinge, presidente do Primeiro Partido Pirata, Jérémie Zimmermann, co-fundador da Quadrature du Net, entre outros.

Na Feira Internacional de Lisboa (FIL) durante cinco dias vai falar-se de cultura, artes, multimédia, telecomunicações e tecnologias da informação e comunicação.

O festival surge numa altura em que a inovação e a criatividade aparecem como segmentos importantes enquanto promotores de crescimento, competitividade e emprego, quer na Estratégia de Lisboa, quer na actual Agenda 2020 da União Europeia.

A Fundação AIP adianta ao Ciência Hoje que “apesar do conceito de indústrias criativas ter vindo a generalizar-se, existe, ainda, um profundo desconhecimento das potencialidades deste sector. Está, por isso, na altura de mostrar o que é a cultura e a criatividade e que Portugal é um país recheado de empreendedores”.

Fonte: http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=57044&op=all

About this entry