Curso “O Passado tão perto e o Futuro (ainda) tão longe. A necessidade de se re-imaginar as instituições culturais: programar, comunicar e promover” | 9 e 10 de Maio | Lisboa

Objectivos |

Exige-se hoje que as instituições culturais sejam reflexivas e críticas e que, desde a sua especificidade, consigam abarcar diversos pontos de vista, discursos e leituras. O objectivo do curso é fomentar uma série de noções, conceitos e ferramentas essenciais para o desenvolvimento e implementação de estratégias de programação, comunicação e promoção efectivas para projectos e organizações culturais. Traduzir o futuro nem sempre é fácil mas a necessidade de adaptação constante das instituições culturais é, hoje em dia, fundamental.

Metodologia | 

Os formandos serão incentivados a desenvolverem um pensamento crítico em relação às suas necessidades profissionais: diagnóstico e alinhamento de um projecto cultural que queiram desenvolver, análise de públicos da sua instituição, elaboração de um plano de comunicação ou elaboração de uma proposta de patrocínio.

Destinatários |

Directores, gestores e empreendedores culturais, produtores artísticos, programadores, curadores e promotores, museólogos, estudantes.

Módulo I

O Museu e as instituições culturais do futuro: necessidades, responsabilidades, exigências. Diferentes dimensões culturais e seus respectivos posicionamentos e estratégias (exemplos nacionais e internacionais). Motivação das equipas profissionais internas. Desde onde e a partir do quê “contar” o nosso projecto? O ciclo de vida e especificidades do nosso produto cultural. Valorização cultural e económica.

Módulo II

Quem é o nosso público? Quem nos visita? Quem queremos que nos visite? O processo de decisão de visita a uma instituição cultural. O perfil do público cultural. Técnicas de investigação de público: observação, inquérito. Como estabelecer um intercâmbio e como diferenciar as nossas produções. A oferta cultural. A programação e as actividades paralelas. A curadoria e promoção de exposições temporárias. Ir, visitar e ficar: lojas, cafetarias. Ler, ouvir: saber gerir feedbacks. Cultura, comunicação e sedução. Porquê comunicar? Porquê seduzir? A nossa instituição seduz ou afasta públicos? Estão os elitismos culturais com os dias contados? Petição para o fim dos textos expositivos herméticos.

Módulo III

Imagem visual corporativa, comunicação e gestão cultural. Relações entre instituições culturais e os meios de comunicação. Como contornar o destaque dado apenas às grandes estruturas culturais na imprensa nacional? Press releases e conferências de imprensa. Criação de estratégia de comunicação e sua difusão: imprensa (impressa e digital, TV, rádio, redes sociais) publicidade e promoção. Saber gerir a presença nas redes sociais.

Módulo IV

Como potenciar retorno nas instituições culturais: o preço e a entrada, merchandising, quotas “dos amigos dos museus”, empréstimo de peças, aluguer de espaços. Apoios à contratação de profissionais. Como estabelecer alianças, colaborações, intercâmbios e constituir valor com o sector privado? Fundraising cultural: o trabalho com o sector privado. Patrocínio, mecenato e crowdfunding. Análise de propostas de patrocínio e viabilidade das mesmas. Considerações finais.

Formadora |

Cláudia Camacho | Curadora e consultora cultural. Doutoranda em História da Arte (Facultad de Bellas Artes, Universidad Complutense, Madrid). Comissariou as exposições: High Speed Press Plate de José Luís Neto (CBA, Madrid); Se Busca Memoria Perdida de Kristoffer Ardeña (Centro 14, Alicante); Representação Portuguesa no DVD-Project (Fundação Telefónica, Peru); Contemplaciones (Festival Loop, Barcelona); For Nothing de Pedro Torres (Round The Corner, Lisboa), Histórias e Desejos de quem Dorme de Ana Rito, Cecilia de Val, Margarida Paiva e Johann Ryno de Wet (Jugada a 3 Bandas, Camera Oscura, Madrid|12 e Arte Santander|12), Três Razões de Luz de Tiago Margaça (Embaixada | Palacete Ribeiro da Cunha, Lisboa). Coordenadora do sector Serviço Educativo no PhotoEspaña|07. Curadora residente convidada pela Academy of Fine Arts and Design para o European Month of Photography/09, em Bratislava. Curadora portuguesa convidada para o “Ideological Guide to the Venice Biennial 2013”, Itália. Organizou o Ciclo de Debates da ARTELISBOA 2011 e o Ciclo de Debates sobre Arte Contemporânea do Festival IN – Inovação e Criatividade, em 2013. De Junho a Setembro de 2014 é-lhe atribuída a bolsa para o programa Erasmus para Jovens Empreendedores, em Londres (University College London e British Portuguese Chamber of Commerce). É directora executiva da AntiFrame – Arts and Cultural Management.

Local | 

Best Training, Lda
Rua Visconde de Santarém, 75B
1000-286 Lisboa

(ao Saldanha)

Data e Horário | 

9 e 10 de Maio (sábado e domingo)
Das 10h às 13h e das 14h às 19h

Duração |

16 horas

Preço | 

147,60€ (120€+iva)

Oganização e inscrições | 

AntiFrame | Art and Cultural Management
antiframe@gmail.com
918 565 416

https://www.facebook.com/AntiFrame
China_Museum

About this entry